Vamos falar de Cultura. O que é Cultura

24 maio 2020


Oi pessoal tudo bem?
Hoje vou começar a série de 5 posts  que abrangem a cultura. Nessa série vou falar para vocês:
- O que é cultura. O que se entende por cultura.
- Como participar de projetos culturais. Como apoiar a cultura.
- Conselho de Cultural. O que é, como funciona, qual a importância dele.
- Editais de Culturais.

Este último vai ter mais posts, e será de grande importância vocês saberem deles.

Primeiramente, o que é cultura?

Para falar de cultura, é inevitável não falar de antropologia  e até mesmo a sociologia, já que estão ligadas entre si. A Cultura é um termo muito explorado pela antropologia, ciência que surgiu na mesma época em que a Sociologia e visa a analisar as sociedades humanas a partir de sua produção cultural, indo das mais elementares formas de organização social até as mais complexas.
A Cultura é ampla. O que nos interessa aqui é saber que a cultura corresponde a um conjunto de hábitos, crenças e conhecimentos de um povo ou um determinado grupo artístico (literário, dramatúrgico, musical, derivado das artes plásticas, por exemplo) que cultiva, de algum modo, um padrão estético semelhante.
No blog, vamos focar a cultura no meio das artes, pois como o termo é abrangente, não quero fazer um nó na cabeça de vocês (existe vários tipos de culturas como a de cultivar alimentos e até abelhas).

Resenha de Livro: A Barata, Ian McEwan

22 maio 2020

Alexandre Tiago

“Naquela manhã, Jim Sams, inteligente mas de forma alguma profundo, acordou de um sonho inquieto e se viu transformado numa criatura gigantesca”.
Olá a todos! Vocês conhecem o livro "A Metamorfose" do Franz Kafka, um dos meus livros favoritos? Para quem não conhece, em "A Metamorfose" conhecemos a história de um homem que se transforma em um inseto gigantesco. Mas o livro que vou resenhar à vocês é o processo que é retratado no livro "A Barata" do escritor britânico Ian McEwan onde uma barata se transforma em um ser humano! Vamos conferir?

A barata, Ian McEwan

Com sua inteligência e verve peculiares, Ian McEwan dá tratamento literário à experiência contemporânea de um mundo virado do avesso.
A frase de abertura de A barata, o novo livro de Ian McEwan, é um evidente tributo à mais famosa obra de Franz Kafka, A metamorfose: “Naquela manhã, Jim Sams, inteligente mas de forma alguma profundo, acordou de um sonho inquieto e se viu transformado numa criatura gigantesca”.
Por meio dessa divertida inversão, McEwan cria a trama desta deliciosa sátira política. Nela, Jim Sams é um inseto que, do dia para a noite, assume a forma humana de primeiro-ministro da Grã-Bretanha.
Sua missão é realizar a vontade do povo, expressa na aprovação da Lei do Reversalismo, que pretende remodelar o funcionamento da economia: as pessoas pagarão para trabalhar e ganharão dinheiro por consumir. Além de radical, a medida criaria uma enorme complicação na relação do Reino Unido com os demais países. Trata-se, é claro, de uma engenhosa metáfora para o Brexit. Mas nada poderá deter o primeiro-ministro: nem a oposição, nem os dissidentes de seu próprio partido, nem mesmo as regras da democracia parlamentar.
ISBN-10: 8535933107
Ano: 2020 / Páginas: 104
Idioma: português
Editora: Companhia das Letras

A frase de abertura de A barata, o novo livro de Ian McEwan, é um evidente tributo à mais famosa obra de Franz Kafka, A metamorfose: “Naquela manhã, Jim Sams, inteligente mas de forma alguma profundo, acordou de um sonho inquieto e se viu transformado numa criatura gigantesca”.Por meio dessa divertida inversão, McEwan cria a trama desta deliciosa sátira política. Nela, Jim Sams é um inseto que, do dia para a noite, assume a forma humana de primeiro-ministro da Grã-Bretanha.Sua missão é realizar a vontade do povo, expressa na aprovação da Lei do Reversalismo, que pretende remodelar o funcionamento da economia: as pessoas pagarão para trabalhar e ganharão dinheiro por consumir. Além de radical, a medida criaria uma enorme complicação na relação do Reino Unido com os demais países. Trata-se, é claro, de uma engenhosa metáfora para o Brexit.

Eu li esse livro por indicação da Letícia do Instagram @livros_associados em PDF e eu gostei bastante! O livro é curto e é de fácil leitura pois ele é uma crítica bem humorada à política contemporânea com toques de realismo e sátira fazendo a gente sair da zona de conforto e refletir o mundo à nossa volta. Eu nunca tinha lido nada do Ian McEwan antes e eu gostei demais tanto que já quero ler outros livros do escritor onde ele ganhou minha admiração por transformar "A Metamorfose" em uma história reversa cheia de críticas sociais muito bem construídas onde o que é asqueroso deve ser evitado para não deparamos com nojeiras no poder.
Li e recomendo à todos lerem esse livro! E vocês, já leram esse livro? Já leram algum livro do Ian McEwan? Comentem! Vamos conversar!

-> Siga o Blog nas redes sociais e fique mais pertinho da gente ? - FacebookInstagramTwitterYouTube

Alexandre Tiago



"Meu nome é Alexandre Tiago, tenho 26 anos, sou um rapaz latino-americano, humanista, pacifista, estudante de Direito e dono do Instagram Cultural @blog.estante.artistica" {https://www.instagram.com/blog.estante.artistica/}mas que ama conversar, ouvir minha coleção de cds, ver filmes, ler livros e que busca fazer um traço entre a vida, os sonhos e a arte.

Mailbox: Faro Editorial

20 maio 2020


Hello pessú, tudo bem?
E no meio dessa pandemia tem recebidos por aqui e eu to super feliz ♥ Chegou o livro Desgrávida lançado pela Faro Editorial. Fiquei animada por adorei a sinopse dele. O livro conta a história de uma menina de 17 anos que descobre estar grávida, a pessoa aluna exemplar.
Achei interessante explorar de uma forma mais aberta a gravidez na adolescência. Sem falar que o livro está lindo.

Desgrávida: Unpregnant

Quando a vida inteira cabe em um único dia.

Escolha era apenas o começo de uma jornada. Veronica Clarke nunca foi reprovada num teste e nunca desejou isso. Até agora... Aluna exemplar, aos 17 anos, ela parece ter uma vida perfeita: um namorado apaixonado, pais que se orgulham dela e uma vaga na universidade dos seus sonhos. Mas, pela primeira vez, um resultado de positivo não lhe parece algo bom. Ao fazer um teste de gravidez, Veronica se descobre grávida e fica em pânico ao ver seus planos de futuro irem por água abaixo. Desesperada, ela decide realizar um aborto.
Com medo de enfrentar julgamentos, Veronica encontra uma aliada improvável... a rebelde Bailey Butler, sua ex-melhor amiga, é a única com quem ela pode contar. Para tentar realizar o procedimento, as duas partem em uma viagem de mais de três mil quilômetros, em meio a loucuras, risadas, cumplicidade e discussões que reabrem cicatrizes que precisam arder antes de, talvez, serem curadas.
Talvez um teste positivo seja o menor dos problemas. Talvez o percurso seja mais importante. Talvez aprender a rir da vida e não levar tudo a sério seja um caminho. Será?



-> Siga o Blog nas redes sociais e fique mais pertinho da gente ? - FacebookInstagramTwitterYouTube


Helana O'hara


Sobre o Autor"Sou tímida, quem diria, e me sinto desconfortável no meio de muita gente. Não sei ter relações meramente sociais: fico amiga ou não fico nada, o tititi mundano está acima de minhas capacidades. Adoro estar nos lugares, olho tudo, sou curiosa, gosto de ouvir o que as pessoas dizem, mas, quando elas são muitas, eu preferia ser uma mosca.” {Danuza Leão} Petites Artesanato em FeltroMídia Kit

Cinema&Café: Ingrid Vai para Oeste

18 maio 2020


Oi pessoal tudo bem?

Hoje trouxe um filme que assisti recentemente e não em saiu da cabeça. Estava eu procurando alguma comédia para assistir na Netflix e vez e outra aparecia como sugestão o filme “Ingrid Vai Para Oeste”, fui deixando e deixando, até que resolvi assistir.


A princípio, achei que fosse uma comédia… Me deparei com um drama bem maluco e de comédia temos muitas coisas.
A produção é de 2017.

O filme conta a história da jovem mulher Ingrid (Aubrey Plaza), ela acaba de sair de uma clinica psiquiátrica por ser stalker. Ela perseguia uma mulher do Instagram que respondeu um comentário dela  - quando essa mulher casa e não convida Ingrid, ela acaba fazendo um papelão imenso e acaba indo para clínica.

{Vídeo}: Vamos falar de A Mística Feminina, Betty Friedan

16 maio 2020




Hey pessú tudo bem?
Hoje trouxe para vocês um vídeo nem especial do livro A Mística Feminina da Beth Friedan. Beth Friedan para quem não sabe foi uma ativista feminista da década de 60, lutou pelos direitos das mulheres e escreveu um dos livros feminista mais importantes da história.

A mística feminina, Betty Friedan

O clássico que fundou a segunda onda do feminismo retorna em edição comemorativa, com textos inéditos A mística feminina investiga como foi construída e mantida a norma social que defina mulher a partir de uma existência frívola, consumista, devotada ao lar, ao marido e aos filhos, à qual estaria fadada. Publicado originalmente em 1963 nos Estados Unidos e em 1971 no Brasil, o livro retorna às livrarias em sua edição comemorativa de 50 anos, com textos inéditos da autora, Betty Friedan.Nesta obra pioneira, a partir de entrevistas, questionários e vasta bibliografia, Friedan identificou um sintoma social que denominou “problema sem nome”. Um vazio existencial que afetava mulheres heterossexuais brancas estadunidenses, moradoras de subúrbios de classe média, que não podia ser suprido por um casamento perfeito, pelo alto padrão de vida ou por filhos e que elevou os índices de alcoolismo e transtornos mentais nos Estados Unidos após a Segunda Guerra. Manipuladas pela sociedade de consumo, essas mulheres deixaram o ideal de comportamento libertário das sufragistas, em voga até os anos 1930, e passaram a incorporar um imaginário sobre o “feminino” projetado por homens brancos que haviam voltado da guerra fantasiando padrões de gênero sexistas. Aos homens, os provedores, era destinada a descoberta de mundos concretos e intelectuais. Às mulheres, as cuidadoras – mães e esposas donas de casa –, a interioridade oca do lar. Criticado por algumas pessoas e louvado por outras, A mística feminina é um livro essencial para compreender a história de opressão e libertação das mulheres, porque revela os mecanismos de controle de gênero, afirmando o que nem sempre é óbvio em uma sociedade machista: as mulheres são seres humanos complexos, cada uma com desejos particulares, e capazes de gerir sozinhas a própria vida.
ISBN-10: 8501117587
Ano: 2020 / Páginas: 560
Idioma: português
Editora: Rosa dos Tempos

O livro, com pouco mais de 560 páginas trás uma reflexão abrangente, inteligente e digna de debates.
Betty fala sobre o conceito de ser uma mulher americana. Ela começa os relatos falando da indústria de publicidade que já na década de 40 mostrava que as mulheres tinham que casar, ter filhos e viver para o marido.
E essa seria a vida perfeita sempre.
Autora diz que começou a se questionar sobre isso. E o resto? E o que as mulheres querem? Os desejos? Suas ambições? Os questionamentos de Betty  era grandes e cada vez que ela lia, ou observava algo que falava das mulheres brotava várias perguntas.

Pelo fato da própria autora achar que as mulheres são mais do que bonequinhas para ficar em casa, ela correu atrás e quis saber delas mesmas o que elas queriam para suas vidas.
Mística Feminina trás um estudo muito grande sobre o que é mulher, qual o papel delas na sociedade, porque mudar é importante.
Apesar do livro se tratar de um período especifico americano, que foi uma pós guerra. Os EUA que viu suas mulheres ajudando na guerra queria agora que elas voltassem para seus lares e ali permanecesse, pois ali era seu lugar. E foi usado de tudo para convence-las disso.

Mas a vida muda. Betty foi as ruas, Universidades, Escolas, entrevistou mulheres, nas quais relataram seus sentimentos, algumas tinham vergonha de mostrar seus desejos.
Um livro impressionante. Vale a leitura por si só, dispensa qualquer comentário.