Novidades Faro Editorial.

25 novembro 2020

Oi pessoal tudo bem?
Hoje trouxe os últimos lançamentos de 2020 da Faro para vocês. Temos uma Edição linda do livro O Corvo de Poe! Livro de capa dura super chique.
Também já temos um livro que será lançado em breve do criador do Bob Esponja.


Faro Editorial lança edição especial bilingue de “O Corvo” de Edgar Allan Poe

Lançado há mais de 200 anos, o poema que inspirou gerações é um marco na literatura mundial

“Nunca mais”

Uma frase enigmática, dita por um pássaro sombrio, numa noite de solidão. Um clássico atemporal, que inspira filmes, peças e permeia a imaginação dos leitores. O que é fantasia e o que é realidade? Era apenas a dor de uma perda ou um recado vindo do além? Há quem diga que foi um pesadelo, e outros que sabem que era um presságio. A verdade é que a ave era enfática e o homem sabia, nunca mais a vida seria como antes.

A Faro Editorial lança este mês uma edição especial do clássico de Edgar Allan Poe, “O Corvo”. Com tradução de Thereza Christina Rocque da Motta, a obra-prima de Poe chega as livrarias numa edição capa dura e bilingue, com as ilustrações originais de James Carling.

Um homem atormentado pela morte da amada é despertado pelo barulho incessante de um corvo, e a trama que se desenrola no poema demonstra tanto a genialidade do autor quanto os demônios que ele carregava.

Opinião: Medicina dos Horrores, Lindsay Fitzharris

23 novembro 2020

Oi pessú tudo bem com vocês?

Hoje tem resenha do livro Medicina dos Horrores, foi uma leitura bem surpreendente, apesar de saber por cima do que se trata o conteúdo, ele foi um livro que gostei bastante.

Medicina dos Horrores

A história de Joseph Lister, o homem que revolucionou o apavorante mundo das cirurgias do século XIX

Lindsey Fitzharris

Uma viagem assombrosa pela história da cirurgia.
Em Medicina dos Horrores, a historiadora Lindsey Fitzharris narra como era o chocante mundo da cirurgia do século XIX, que estava às vésperas de uma profunda transformação. A autora evoca os primeiros anfiteatros de operações — lugares abafados onde os procedimentos eram feitos diante de plateias lotadas — e cirurgiões pioneiros, cujo ofício era saudado não pela precisão, mas pela velocidade e pela força bruta, uma vez que não havia anestesia. Não à toa, os mais célebres cirurgiões da época eram capazes de amputar uma perna em menos de trinta segundos. Trabalhando sem luvas e sem qualquer cuidado com a higiene básica, esses profissionais, alheios à existência de micro-organismos, ficavam perplexos com as infecções pós-operatórias, o que mantinha as taxas de mortalidade implacavelmente elevadas.
É nesse cenário, em que se considerava mais provável um homem sobreviver à guerra do que ao hospital, que emerge a figura de Joseph Lister, um jovem médico que desvendaria esse enigma mortal e mudaria o curso da história. Concentrando-se no tumultuado período entre 1850 e 1875, a autora nos apresenta Lister e seus contemporâneos e nos conduz por imundas escolas de medicina, os sórdidos hospitais onde eles aprimoravam sua arte, as “casas da morte” onde estudavam anatomia e os cemitérios, que eles volta e meia invadiam para roubar cadáveres.
ISBN-10: 8551005227
Ano: 2019 / Páginas: 320
Idioma: português

Comprei o livro pela capa, sendo bem sincera.Sempre gostei da capa Medicina dos Horrores, vermelha com preto, de capa dura, as bordas das folhas são pretas, ele conta com 320 páginas, 11 capítulos. Porém pelo menos umas 50 páginas do livro são notas sobre a pesquisa da autora. Informações que ela usou ao escrever o livro.

Dia da Consciência Negra: Três Livros Para você ler agora.

20 novembro 2020

Olá pessoal tudo bem?


Hoje, dia 20 de Novembro é Dia Nacional da Consciência Negra, a data foi firmada apenas em 2003. Ou seja, ainda estamos refletindo muito pouco sobre o negro na sociedade. Apesar que essa reflexão e as homenagens aconteçam a mais tempo. A data ela foi escolhida por ser o dia da morte de Zumbi dos Palmares em 1695, ele que foi um dos maiores líderes negros do Brasil.

Muitas cidades no País todo  prestam homenagem a data de uma forma especial, fazendo dela a semana da consciência negra, levando debates, mostrando a cultura, e também contra o racismo.

Hoje trouxe para vocês três livros muito especiais que tratam sobre o racismo, reflexões que devemos fazer diariamente.

Novidades Literárias: O Abrigo de Kulê

17 novembro 2020

Oi amados tudo bem?

Hoje trouxe para vocês um livro na qual achei muito interessante. Dia 20 de Novembro é comemorado O Dia da Consciência Negra, eu não gosto de usar a palavra “comemorado” já que os Negros sofrem muito e esse ano tivemos alguns casos enfadonhos contra pessoas.

O Livro O Abrigo de Kulê veio para nos trazer mais reflexão de como a gente se posta na sociedade.

Ambientado nos anos 40, romance da escritora brasiliense, Juliana Valentim, aborda temas como amor e solidariedade, ultrapassando as barreiras do tempo.

O trabalho escravo nas fazendas brasileiras na década de 40 é o tema central do lançamento O Abrigo de Kulê. A obra, da jornalista e escritora Juliana Valentim, narra a história de Gabriel, um caixeiro viajante contador de histórias, e Maria, uma jovem que ama os livros e sonha em conhecer o mundo. Juntos, eles traçam um caminho em busca da liberdade.

O livro coloca em discussão assuntos que atravessam décadas e permanecem vivos até os dias atuais. Fala de amor, coragem e sororidade, a solidariedade feminina que nasce em tempos desafiadores. A narrativa é construída de forma leve e cheia de fantasia, fazendo o leitor passear por paisagens e costumes do interior do Brasil.

Assim como os protagonistas da obra, no alto dos seus 20 anos, o enredo se revela ao público jovem com uma sucessão de acontecimentos marcantes que transitam pela paixão, decepção, saudade, liberdade, encanto e desencanto.

A capa é um trabalho da desenhista Elaine Lyra, com ilustração digital da Flávia Hashimoto. “Imaginei uma capa que abordasse essa busca pela liberdade de forma lúdica. Por isso, trouxemos o desenho da jovem aprisionada, mas com lindas asas coloridas. É uma imagem que diz muito”, afirma a autora.

Juliana Valentim é jornalista de formação e possui um sólido trabalho nas redes sociais. Em seu perfil literário “Palavras que Dançam”, escreve diariamente textos curtos e fragmentos poéticos. Autora de dois livros anteriores, de crônicas e poesias, ela agora se aventura nas páginas do seu primeiro romance.

“Gerenciar um perfil literário na internet me fez conhecer melhor o meu o leitor. O que eu mais gosto de fazer na vida é escrever um texto e ver como ele chega nas pessoas. Sou eu em cada palavra, viajando por casas e corações que jamais conheceria, não fosse pela poesia”, diz a escritora.

Despediram-se, então, com uma inquietação na alma. Sentiam vontade de viver demasiadamente, até o talo da vida. As peles queimavam feito uma febre faminta de tudo. Sentiam vontade de engolir o mundo. (O Abrigo de Kulê, p. 20)

-> Siga o Blog nas redes sociais e fique mais pertinho da gente ? - FacebookInstagramTwitterYouTube


Helana O'hara

Sobre o Autor"Sou tímida, quem diria, e me sinto desconfortável no meio de muita gente. Não sei ter relações meramente sociais: fico amiga ou não fico nada, o tititi mundano está acima de minhas capacidades. Adoro estar nos lugares, olho tudo, sou curiosa, gosto de ouvir o que as pessoas dizem, mas, quando elas são muitas, eu preferia ser uma mosca.” {Danuza Leão} Petites Artesanato em FeltroMídia Kit

Resenha de Livro: Capitães de Areia, Jorge Amado

12 novembro 2020

Por Alexandre Tiago

"Vestidos de farrapos, sujos, semiesfomeados, agressivos, soltando palavrões e fumando pontas de cigarro, eram, em verdade, os donos da cidade, os que a conheciam totalmente, os que totalmente a amavam, os seus poetas."

Olá a todos! Quais são seus livros favoritos da literatura brasileira? Eu tenho vários pois considero a literatura brasileira uma das maiores e melhores literaturas do mundo. Uma prova disso é a resenha do livro que vou trazer a vocês hoje é "Capitães da Areia" do Jorge Amado que é um dos meus escritores favoritos da literatura brasileira. Vamos conferir?

Capitães de Areia Jorge Amado

Clássico absoluto dos livros sobre a infância abandonada, Capitães da Areia assombrou e encantou gerações de leitores e permanece hoje tão atual quanto na época em que foi escrito. A história crua, comovente, dos meninos que moram num trapiche abandonado e vivem de pequenos furtos e golpes causou impacto desde o lançamento em 1937, quando a polícia do Estado Novo apreendeu e queimou inúmeros exemplares do livro. Longe de manifestar piedade por suas pequenas criaturas, Jorge Amado as retrata como seres dotados de energia, inteligência e vontade, ainda que cerceados pelas condições sociais hostis em que estão inseridos. Com sua prosa repleta de verve e humor, o escritor baiano nos torna íntimos de cada um desses personagens e nos contagia com sua obstinada gana de viver.

Eu gosto muito desse livro! Esse livro é no meu ponto de vista um dos livros que mais faz retrato atemporal social do Brasil. O livro foi publicado originalmente em 1937 mas parece que foi escrito hoje. Ele é lírico, poético e crítico ao analisar a pobreza humana através da vida dos protagonistas da história que são crianças de rua que se comportam como se fossem adultos ao mostrar suas histórias de vida e sobrevivência mas ruas. O que faz termos personagens marcantes em um livro muito forte e tocante mas que nos traz também uma excelente história cheia de acontecimentos e sentimentos, narrativa empolgante e que nos refletir temas como desigualdade, marginalidade e o mundo que vivemos diante do tema pobreza.

Jorge Amado é um dos maiores da literatura brasileira e isso é percebido em "Capitães da Areia" , que é para mim, um de seus melhores livros!

Li e recomendo à todos lerem o ótimo livro "Capitães da Areia"! E vocês, já leram esse livro? Gostam desse livro também? Comentem! Vamos conversar!

-> Siga o Blog nas redes sociais e fique mais pertinho da gente ? - FacebookInstagramTwitterYouTube


Alexandre Tiago



"Meu nome é Alexandre Tiago, tenho 26 anos, sou um rapaz latino-americano, humanista, pacifista, estudante de Direito e dono do Instagram Cultural @cultivandoasartes" {https://www.instagram.com/cultivandoasartes/}mas que ama conversar, ouvir minha coleção de cds, ver filmes, ler livros e que busca fazer um traço entre a vida, os sonhos e a arte.